São Paulo não pode parar disso todos já sabemos. O trânsito as vezes empaca, mas a cidade não pára de se mover em velocidade frenética. Isso faz dela o centro da atenção, pois todos querem conhecer a cidade.
São Paulo é uma usina de oportunidades para todo mundo que queira criar, realizar, consumir. Trabalho e prazer se confundem. Mas uma coisa é certa: quem vem de visita acaba aproveitando a cidade muito mais.
De uns anos para cá, a proibição de outdoors e letreiros revelou uma beleza que a própria São Paulo não imaginava ter. “Fique mais um dia”, recomendava a campanha da secretaria de turismo aos viajantes apressados.
Uma excelente época para visitar a cidade é no outono e no inverno pois são mais secos, com dias agradáveis e noites frias; a primavera é chuvosa e o verão registra trombas d’água no final de tarde.

Os fins de semana e feriados prolongados são perfeitos para visitar a cidade: as diárias dos hotéis baixam e a fluidez do trânsito barateia as corridas de táxi. Janeiro e julho também são meses em que o deslocamento pela cidade é mais tranqüilo. Dezembro é a época mais perturbadora, por causa das compras de Natal. As ruas aumentam demais seu movimento principalmente nas regiões da 25 de março e no Brás.

Alguns dos eventos turísticos mais importantes são a Fórmula 1. Em abril acontece uma das festas mais importantes da cidade: a Virada Cultural, com 24 horas de shows e eventos.

É possível chegar a São Paulo por dois aeroportos, três rodoviárias e, algumas estradas. O aeroporto de Guarulhos (ou Cumbica) fica a 26 km do centro, na direção leste. Os táxis são tabelados e custam acima de R$ 150. Há também um ônibus executivo com seis linhas (R$ 50) e um ônibus comum que faz a conexão com a estação Tatuapé do metrô.

Chegando por Congonhas você estará a 10 minutos – se o trânsito estiver tranqüilo – da região empresarial da Berrini, ou 20 minutos da avenida Paulista. Os ônibus de linha 675I e 675J levam à estação São Judas do metrô. Lembrando que todas as rodoviárias estão conectadas à rede do metrô. O que facilita demais as movimentações.
Além disso, São Paulo renovou completamente a sua rede hoteleira na última década. A oferta de acomodações, porém, já está insuficiente para os dias de semana e grandes eventos. Os hotéis nas imediações do cruzamento entre as avenidas Paulista e Consolação são perfeitos para quem vem visitar: há metrô e corredor de ônibus na porta, e chega-se em corridas curtas de táxi ou mesmo a pé a vários pontos de interesse.

Também há opções mais baratas para hospedagem como os hostels com preços que cabem no bolso e muitos deles estão em localizações estratégicas. Com fácil acesso a metrôs, ponto de ônibus e até mesmo próximos a região da Paulista.

A avenida Berrini tem a melhor coleção de hotéis voltados para executivos. Mas para quem vem a trabalho e quer aproveitar também a vida noturna, Vila Olímpia e Itaim são mais convenientes: não ficam longe da Berrini e têm diversão na porta.

Alguns dos passeios mais interessantes da cidade estão no Centro: a Pinacoteca do Estado, o Museu da Língua Portuguesa e o Mercado Municipal podem ser combinados numa mesma saída. Vale a pena contemplar o espigão da Avenida Paulista de dois mirantes opostos: o Terraço Itália e o hotel Unique. Também há opções de passeios com crianças como o zoologico, o museu Catavento, entre outras opções.

Com cerca de 2 milhões de litros de água, o Aquário de São Paulo já foi considerado o maior do Brasil e o primeiro temático da América Latina. Inaugurado em julho de 2006, apresenta cerca de 3 mil exemplares com 300 espécies de animais. O local está dividido em cinco diferentes setores: Água Doce, Oceanário, Pinguinário, Morcegário e Mamíferos. Cada parte possui tanques, aquaterrários e outros elementos que representam esses ecossistemas brasileiros. Espécies ameaçadas de extinção, como a Piracanjuba e o peixe Mero podem ser observados.

Se você é do tipo que gosta de se aventurar e descobrir lugares novos na cidade, então precisa conhecer a Casa de Pedra, maior ginásio de escalada da América do Sul! Dentro da casa é possível experimentar diversas modalidades como, por exemplo, top rope, escalada guiada e bolder. A estrutura do local conta com mais de 32 paredes para o público, além de uma sala de musculação!

Se você curte um passeio mais tranqüilo pode-se fazer uma caminhada pelo parque Ibirapuera, aproveitando a paisagem. Outra opção é visitar os bairros famosos da cidade como a Liberdade.

As experiências de compras são as mais variadas possíveis – dos shoppings mais sofisticados às ruas especializadas em pechinchas, como José Paulino, 25 de Março e Santa Ifigênia.

O eixo Itaim-Jardins tem mais restaurantes, mas Higienópolis é uma opção central e representa bem a cidade. Na vida noturna, a rivalidade entre Vila Madalena x Vila Olímpia ganhou um concorrente: o Baixo Augusta, o preferido dos alternativos.

Esperamos que possamos contribuir com sua busca por São Paulo a cidade que nunca para. E se você já conhece algum desses lugares e já passou por alguma experiência com eles, deixe sua mensagem aqui no blog e ajude outras pessoas!