Por que você não pode deixar de conhecer a cidade de Botucatu

Botucatu é conhecida como a cidade dos bons ares, significado da palavra tupi Ybytu-Katu que deu origem ao nome da cidade. Distante a pouco mais de 200Km de São Paulo proporciona muito contato com a natureza e exibe diversos cenários para fotos incríveis.

A formação montanhosa é ideal para escaladas, canyoning e trekking. O contato com a natureza propicia passeios por cachoeiras, trilhas, cicloturismo e turismo rural. Uma das áreas mais procuradas na cidade é a Cuesta de Botucatu, que apresenta um relevo diferente e uma bela paisagem.

O SPMais traz alguns lugares da cidade para você admirar e curtir um excelente passeio, muitos deles com cunho histórico e cultural. Confira:

A Catedral de Botucatu é o principal edifício do centro da cidade, e é linda. Chamada Basílica Menor de Santana, tem estilo gótico e começou a ser construída em oito de dezembro de 1.927, dois anos após sua chegada a Botucatu, Dom Carlos Duarte Costa lançou solenemente a pedra fundamental da nova Catedral de Santana, com a presença do então Presidente do Estado Júlio Prestes. Foi inaugurada dia 08 de dezembro de 1943. A igreja passou por várias reformas desde sua fundação. Aberta de segunda à sexta, das 8h às 11h e das 13h30 às 17h. Sábado, das 15h às 19h e domingo nos horários de missas (7h30/9h30/19h).

Um outro ponto de Botucatu é a Igreja de Santo Antônio, que fica no bairro Rubião Junior. Construída no topo de um morro, a uma altitude de aproximadamente 900 metros, essa igreja apresenta uma construção com características de castelo medieval. A igreja foi inaugurada em 1932, e todos os anos em 13 de junho, comemora-se o dia de Santo Antônio, com romarias e festas populares.

A Fazenda Experimental Lageado situada a aproximadamente 3km do centro da cidade, com acesso através da rua José Barbosa de Barros e da rodovia Alcides Soares. Integra o câmpus da Unesp, em Botucatu, abrigando laboratórios, departamentos, biblioteca, salas de aula e áreas de produção da Faculdade de Ciências Agronômicas e da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia. Centenária fazenda formada no processo de expansão da cafeicultura no Oeste Paulista no século XIX. Sua área histórica abriga um bem preservado conjunto arquitetônico e o Museu do Café. Com vastas áreas de bosques e gramados, é bastante utilizada para atividades de lazer e esportivas. Aberta ao público, com entrada gratuita. Além de ser um excelente lugar para levar crianças para brincar.

O Gigante Deitado fica no limite entre os municípios de Botucatu, Bofete e Pardinho. É um conjunto rochoso, esculpido pela erosão do solo pelo vento, que, visto de longe, assemelha-se a um gigante deitado, destacando-se três partes: a cabeça, a barriga e os pés. O morro que constituiria a barriga do gigante possui mata nativa preservada e diz-se que é a moradia dos “sacis” de Botucatu. O conjunto rochoso que seriam os pés é, na verdade, um grupo de três morros, também conhecidos como Três Pedras.

A Praça Brasil-Japão inspirada na arquitetura nipônica. Conta com um lago com carpas, uma ponte, playground, caixa de areia para crianças. Toda a sua calçada interna foi planejada de forma que as crianças possam andar sem ter acesso à rua. Existem nela três portais japoneses, e segundo a tradição faz-se um pedido ao passar pela primeira vez em cada um deles.

A Feira de Arte e Lazer da Cuesta acontece durante um final de semana do mês,congrega em si uma grande diversidade de produtos e técnicas artesanais propiciando ainda espaço para apresentações artísticas e musicais. Há também uma praça de alimentação e uma de diversões. A realização da Feira se alterna na Praça do Bosque (das 9h às 17h) e no Largo da Catedral defronte a escola Cardosinho (das 10h às 22h).

O Bairro Demétria possui paisagens, pessoas, vivências culturais. Para escolas, grupos e indivíduos. Cerrado, Agrossilvicultura. Uma trilha encantada. Ainda se pode mergulhar na lagoa. Uma horta biodinâmica. E ainda, Qual é o ouro do agricultor? Como fazer um composto? Como se alimentam as vacas? Como é a ordenha? Água e as árvores. Um viveiro de mudas. Exemplos de bio-construção. Uma nascente na mata. Quer plantar a sua árvore? Fogueira, violão e canto. Vivências astronômicas… Esses são apenas alguns exemplos!

Agora vamos falar das cachoeiras que a cidade possui, Cachoeira da Pedreira Localizada na Rodovia Marechal Rondon (pavimentada) Localizada na Fazenda Pavuna, distânte 15 km do centro da cidade. É composta com duas quedas (80m e 20m de altura). Podem-se observar espécies variadas de flora, assim como rochas peculiares da formação do local. O acesso é feito por trilha em mata natural com dificuldade de nível máximo. Para visitação é necessário monitoramento.

Já a Cachoeira da Indiana fica localizada na Estrada Indiana (não pavimentada), próxima à antiga Usina Indiana. Com uma distância de 15 km do centro da cidade. São cachoeiras de 15m de altura com lagos para banho e escorregador natural. O acesso é feito por trilha em mata natural com dificuldade de nível médio. Para visitação também é necessário monitoramento.

A Fazenda Pavuna é composta de um grande lago de água potável (para banho), 4 cachoeiras (com quedas de 80m, 60m e 20m) todas com lago para banho. Além do banho, podem-se praticar os esportes radicais. As trilhas de acesso para as cachoeiras são de nível médio e difícil, em mata natural, na Cuesta de Botucatu. É cobrada taxa de visitação e a visita é autoguiada. Na propriedade particular localizada na Rodovia Marechal Rondon km 256 (sentido Botucatu- São Manuel).

O Véu de Noiva localizado na Rodovia Variante da Serra (asfaltada) e BTC-476 (não pavimentada). Distânte 12 km do centro da cidade, onde fica o Rio Pardo – represa e cascata (com queda 6m de altura), mata natural e de reflorestamento. Além de possuir uma infra-estrutura com área de lazer e descanso, estacionamento, tobogã aquático com 50 m de comprimento, quiosques, churrasqueiras, bar/lanchonete e sanitários públicos.
A Terra do Saci! Extremamente vinculada à cultura caipira e às tradições universitárias, Botucatu (SP) mistura o folclore e cultura brasileiros às origens da atual Unesp. É pólo cultural do interior Paulista, com compositores consagrados (ex. Angelino de Oliveira, compositor da música ‘Tristeza do Jeca’, símbolo da música caipira de raiz) e eventos que reúnem artistas dos mais variados.

O Saci foi adotado como símbolo cultural da cidade após alunos das primeiras turmas da antiga FCMBB (Fac. de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu), predecessora da atual UNESP, o tornarem símbolo de seu Centro Acadêmico. Dada a relação próxima entre universitários e a comunidade, aos poucos a cultura daqueles jovens foi integrada aos costumes botucatuenses, principalmente por meio da criação da Associação Nacional dos Criadores de Saci (ANCS). Hoje, é mote de grandes festivais e encontros onde ‘Criadores de Saci’ mantém viva sua cultura e companheirismo.

Esperamos que possamos contribuir com sua busca por conhecer a cidade de Botucatuem São Paulo. E se você já conhece algum desses lugares e já passou por alguma experiência com eles, deixe sua mensagem aqui no blog e ajude outras pessoas!

0 comentários