As melhores comidas típicas de São Paulo

Hoje vamos tratar de um tema bem agradável, pelo menos para mim amo esse tema que é comida. E vamos tratar em específico das comidas típicas paulistanas. Tem a legítima pizza italiana, tem restaurante de comida japonesa. Tem comida marroquina, árabe, enfim São Paulo é o melhor lugar do Brasil para comer de tudo um pouco. E, no meio de tantas opções, acabamos por esquecer da comida típica paulista.

E pensando nisso o SPMais listou algumas das comidas típicas de São Paulo, espero que já tenha  feito sua refeição pois aí vai uma lista de gostosuras. Confira:

Virado à paulista

Tem couve, tem ovo frito, tem linguiça, tutu de feijão e carne de porco. Declarado Patrimônio Imaterial de São Paulo, o virado à paulista é um prato que nasceu no período colonial. Durante as andanças dos bandeirantes, os ingredientes eram chacoalhados ao seguirem pelas estradas de terra – daí o nome “virado”.

Arroz, bisteca, torresmo e couve foram sendo acrescentados com o passar dos anos. O Virado à Paulista chegou ao século 21 como o prato mais emblemático de São Paulo, a escolha de toda segunda-feira, o dia oficial da receita nos restaurantes dali.

Bauru

Pão francês, queijo e rosbife. Essa é a trindade que forma o bauru, outro sanduíche típico de São Paulo. O lanche nasceu há 80 anos, numa lanchonete chamada Ponto Chic (e que existe até hoje). Um estudante esfomeado, cujo apelido era Bauru, pediu que um pão francês fosse preenchido com rosbife, tomate, picles e queijo derretido, normalmente feito em banho-maria. A ideia foi aprovada por outros comensais, que logo começaram a pedir o prato bolado pelo tal do Bauru.

Simples, barato e matador de fome. As décadas trouxeram outros ingredientes, e hoje existem o bauru francês (queijo gruyère derretido e mostarda dijon), o italiano (queijo muçarela derretido, presunto de Parma, tomate seco e orégano) e outras variações.

Comida árabe à paulista

Imigrantes sírios e libaneses tornam São Paulo a dona da maior população de origem árabe da América do Sul. Com tanta gente assim, é claro que a comida árabe chegou na capital paulista, se misturou com sabores e paladares verde e amarelos e logo tomou conta da cidade. Da esfiha ao quibe; dos kaftas aos falafels e kebabs: sobram opções com toques árabes. Isso também vale para o cuscuz à paulista, outro prato internacional com um pezinho no Brasil.

Bolovo

Um ovo cozido, colocado dentro de um bolinho de carne moída. A receita pode até existir em outros lugares,  mas a onipresença do bolovo como um petisco de boteco é algo tipicamente paulista. É gostoso, enche a barriga e às vezes o preço, em certos bares, passa do razoável. Mas vale cada mordida.

Coxinha do Veloso

A coxinha do Veloso Bar já é tão famosa que é praticamente patrimônio cultural da cidade. Considerada por muitos a melhor coxinha de São Paulo, ela vem em uma porção com molhinho de pimenta e sua consistência é incrível: crocante por fora e cremosa por dentro. Não deixe também de provar os incontáveis sabores de caipirinha da casa.

Lanche de mortadela do Mercadão

Um paulista que nunca comeu um lanche de mortadela no Mercadão definitivamente não é um paulista verdadeiro! O lanche é o maior símbolo da cidade, com seu exagerado recheio irresistível. Com mais de 200 gramas de mortadela fatiadas bem fininhas, o sanduíche existe por lá desde a sua inauguração. Desde então, o lanche foi ganhando novas versões e é possível incluir novos ingredientes. Um dos boxes mais disputados com o famoso lanche é o Hocca Bar, mas há também outras opções. Só esteja preparado para uma longa espera no almoço.

Lanche de pernil do Estadão

Mais um clássico de São Paulo! O sanduíche de pernil do Estadão faz sucesso em qualquer horário, já que o local fica aberto 24 horas, de segunda a domingo, e é uma ótima pedida para o almoço, jantar e até para matar a fome pós-balada. O nome do local veio por ficar ao lado do antigo prédio do jornal O Estado de S. Paulo. A casa é famosa pelo lanche de pernil, que vem acompanhado de tomate, pimentão e cebola no pão francês – sucesso da casa e entre os fregueses.

Pizza individual

São Paulo é sinônimo de pizza – e sem ketchup, por favor! Por aqui, a cada esquina é possível encontrar uma pizzaria diferente. Mas nos últimos tempos a pizza que ganhou o coração dos paulistanos é a pizza individual, aquela inspirada na pizza napolitana, de massa borrachuda e com muito molho de tomate. A Bráz Elettrica é uma dessas pizzarias que servem pizzas individuais e de gosto incomparavel! Mas você pode conferir aqui outras casas especializadas nesse tipo de pizza.

Pastel da Maria

Em São Paulo, se você quiser deixar alguém feliz é só chamar a pessoa para comer um pastel na feira! Seja durante a semana ou de sábado, um bom pastel de feira cai sempre bem. E um dos mais tradicionais da capital é o Pastel da Maria, em Pinheiros, eleito em 2010 o melhor pastel de São Paulo em concurso da Prefeitura em feiras da cidade. O cardápio, com mais de 20 sabores, conta com pasteis de carne, carne-seca e chocolate. Para quem gosta das versões gigantes, destaque para o de frango com catupiry.

Bisteca do Sujinho

Apesar do nome, não se assuste, o restaurante Sujinho é um clássico de São Paulo nascido nos anos 60 e disputadíssimo entre quem ama a culinária brasileira. O carro-chefe do cardápio é a famosa bisteca bovina grelhada, a carne vem com cerca de 700g , acompanhada de salada de repolho. Vale lembrar que o local não aceita cartões, só dinheiro.

Feijoada do Bolinha

Falou em feijoada, logo pensamos no Bolinha. São muitas as opções de onde comer feijoada na cidade, mas a do Bolinha, restaurante no Jardim Europa, é um clássico. O estabelecimento, que se autointitula “a casa da feijoada” foi inaugurado há quase setenta anos e mantém um estilo tradicional. A feijoada do Bolinha leva dez tipos de carnes preparadas em fogão à lenha acompanhadas de arroz branco, couve, mandioca frita, banana à milanesa, linguiça frita, bacon e torresmo torradinhos e bisteca de porco grelhada. De terça a sexta, ela é servida por porção fixa para 1 ou 2 pessoas ou no serviço de rodízio. Já aos sábados, domingos e feriados, ela é servida em sistema de rodízio à vontade e o preço é fixo por pessoa.

Beirute do Frevo

Supertradicional em São Paulo, o restaurante Frevo é famoso pelos seus beirutes e pela variedade de sanduíches no cardápio. Os recheios dos beirutes vão desde o tradicional (com pão sírio, roast beef, queijo derretido, tomate e orégano) até o Italiano (com queijo, linguiça calabresa e azeitonas) – os preços vão de R$ 18,80 a R$ 27,40. Há ainda uma infinidade de lanches: no pão ciabata, no pão integral, hambúrguer, baguete e por aí vai.

Bolinho de bacalhau no Estádio da Portuguesa (Canindé)

Ir até o Estádio da Portuguesa, o Canindé, e não comer um bolinho de bacalhau é passeio perdido! O salgado é tradição no restaurante Tri Fita Azul, que fica na parte interna do local e está há três décadas na ativa. A unidade custa 3 reais.

Esperamos que com essa lista possamos contribuir com sua busca pelas melhores comidas típicas de São Paulo. E se você já conhece algumas dessas comidas e já passou por alguma experiência  com elas, deixe sua mensagem aqui no blog e ajude outras pessoas!

0 comentários