Ao falar em comida japonesa, costuma-se pensar apenas em rodízios de sushis, sashimis ou nos práticos temakis, mas isso tem mudado bastante ultimamente, em grande parte graças à crescente procura por lámen. O lámen, geralmente, é um prato muito mais rústico do que as iguarias marinhas, mas também exige tempo e precisão, além de contar com versões incrivelmente sofisticadas.

Para quem ainda não conhece, o lámen é um prato quente composto por: macarrão (pode ser importado ou feito no próprio estabelecimento), caldo (no geral, o caldo tem como base ossos de galinha ou de porco, mas existem diversas variações, inclusive vegetarianas. A essa base, acrescenta-se um realçador de sabor, que pode ser: shio, shoyu ou misso) e toppings ou complementos (dependem da criatividade do estabelecimento, e as combinações são variadas. Entre os mais comuns estão: tiashu (fatias de lombo de porco), nori (a alga usada para enrolar sushis e temakis), negui (cebolinha), tamago (ovo), menma (broto de bambu), moyashi (broto de feijão), entre outros).

E quanto mais opções tivermos de lámen em SP, mais chances de conhecer outros estilos, técnicas, referências e preços.

O SPMais listou as melhores casas de lamen em São Paulo, confira:

Aska Lamen

O mais popular e também o mais barato. Por esse motivo, só aceita dinheiro. As filas costumam ser enormes, inclusive antes de o restaurante abrir e em qualquer dia da semana. Tem que deixar o nome na fila indicando o número de pessoas que vão comer e todos têm que estar presentes quando o nome for chamado. Se não estiverem todos, perde a vez.

Não é um lugar para passar horas, até mesmo pela rapidez com que te atendem e te servem. Fica claro que esperam que você, assim que terminar de comer, pague e vá embora. Mas não é um caso de mau serviço, a ideia é apenas ser solícito com o próximo, para que mais pessoas possam comer, afinal a fila está sempre enorme.

O cardápio é bem pequeno, basicamente só há lamens, nas versões grande e mini, com variações dos realçadores e toppings, além da versão tonkotsu (com o caldo exclusivamente à base de ossos de porco, o mais tradicional usa base de ossos de frango).

Durante a semana, existe também a opção do kaedama (em que você pode pedir para colocarem mais macarrão na sua tigela se tiver sobrado muito caldo) e, se você gosta de alho, vale a pena pedir o alho moído deles. Incrementa o sabor e dá um toque incrível!

Uma excelente opção é o de shio e peça com yassai (legumes, verduras e moyashi) à parte e acrescente também com as pimentas disponíveis na mesa e o alho moído adicional. Peça a entrada de guioza.

O lugar tem decoração clássica e é possível ver a cozinha de praticamente qualquer lugar do restaurante. Se estiver sozinho ou com um grupo pequeno, uma ótima opção é se sentar no balcão para ver a equipe trabalhando. Pode até parecer que há muitos funcionários ociosos na maior parte do tempo, mas quando alguma mesa faz o pedido, os pratos são preparados e montados com uma agilidade incrível! R$ 15 a R$ 25 por pessoa. Não aceita cartões! De terça a sábado, das 11h às 14h e das 18h às 21h30. Aos domingos, das 11h às 14h e das 18h às 21h.

Endereço: R. Galvão Bueno, 466 – Liberdade – São Paulo – SP
Telefone: (11) 3277-9682
Site: Não possui

Restaurante Mugui

O cardápio apresenta diversas opções de lamen com variações de acompanhamentos e com uma diferença na escolha da base do caldo: você pode escolher entre o tradicional de shoyu, misso ou kare (curry). Ele combina bastante com o lamen, e é uma pena que outras casas ainda não incluam no cardápio.

Eles também fazem o shu-mai, uma trouxinha recheada com carne de porco cozida no próprio caldo do lamen e oferecem outras opções, como o clássico yakissoba ou o fantástico nabeyaki udon. O udon é um macarrão de trigo mais grosso e macio do que o do lamen e no Mugui ele vem acompanhado de um caldo delicioso e bem encorpado, além de muitos toppings.

Vale pedir a porção de guiozas fritos e crocantes para acompanhar. À primeira vista, você pode não encontrar o Mugui, pois só há um estacionamento no térreo, mas é só subir a escada na lateral do estacionamento para chegar ao restaurante, que fica no primeiro andar. No mesmo andar, você encontra ainda o Sukiyaki House e o Sushi Isao, que também vale a pena conhecer! Ah, depois da refeição, sempre tem uns docinhos no caixa! R$ 20 a R$ 40 por pessoa. De terça a sábado, das 11h30 às 14h15 e das 18h30 às 22h.

Endereço: Rua da Glória, 111 – Liberdade – São Paulo – SP
Telefone: (11) 3106-8260
Site: www.restaurantemugui.com

Lamen Kazu

O Lamen Kazu existe desde 2008 e assim como no Aska e no Mugui, eles têm a versão tradicional, com as opções clássicas de realçadores (shio, shoyu e misso) e as variações de quantos e quais toppings acompanham o lamen, além da opção pelo tamanho grande. O cardápio do Kazu também tem outras boas opções para quem não quer lamen, mas em geral são muito caras, como o guioza, e já que a porção de lamen é generosa, entradas e acréscimos são dispensáveis.

Mas o que realmente impressiona no Kazu são as exclusividades! Como o Hokkaido Misso, que leva misso da província de Hokkaido, com sabor e cores bem diferentes do misso tradicional. Esse lamen inclui uma série de acompanhamentos exclusivos, como vieiras, wakame (outro tipo de alga, com sabor mais acentuado e textura mais dura do que o nori e o milho com manteiga.

Entre as exclusividades, estão também o Shio Tan Tan Ramen, versão apimentada do shio, com o tiashu (lombo de porco) feito também com tempero picante, e o Kara Misso, outra variação picante do lamen tradicional. Algumas outras opções infelizmente têm ficado fora do cardápio por um tempo devido à falta dos ingredientes. Apesar de normalmente ter fila de espera, ela não é tão demorada.

Além dos lamens, os Choux Cream de sobremesa são excelentes e vêm do outro estabelecimento da rede, o Expresso Kazu, que você também precisa visitar. R$ 35 a R$ 60 por pessoa. Aceita todos os tipos de cartões! De terça a sábado, das 11h às 15h e das 18h às 22h30. Aos domingos, das 11h às 15h e das 18h às 21h.

Endereço: R. Thomaz Gonzaga, 87 – Liberdade – São Paulo – SP
Telefone: (11) 3277-4286
Site: www.lamenkazu.com.br

Porquê Sim (karaokê e restaurante)

O Porquê Sim é um point bem conhecido pelos fãs de cultura japonesa, animes e, principalmente, karaokê! Lá existem várias salinhas (ou boxes), onde seu grupo pode ficar isolado do resto do mundo, cantar até dizer chega. As salinhas costumam ficar lotadas em finais de semana e feriados, e o preço pode parecer alto, mas fica razoável quando dividido por um grupo grande de pessoas, mesmo que aluguem a sala por várias horas.

O restaurante fica no andar térreo e serve praticamente tudo o que é mais popular na culinária nipônica: sushis, sashimis, temakis, karê, tonkatsu e, claro, lamen! É uma opção popular, com ambiente bacana e simples com preços acessíveis.

O que mais chama a atenção no cardápio é o fato de ser possível pedir os lamens como parte de combinados, acompanhados de kare (curry), guioza, katsudon (empanado de carne bovina) ou minitendon (legumes e camarões empanados). Há também a versão tonkotsu, além das versões shio, shoyu e misso.

Os lamens não são incríveis, mas são boas opções, apesar de perderem para outros itens do cardápio, como o tonkatsu, lombo de porco empanado com o molho que dá nome ao prato, ou os currys, que são bem servidos e não tão ardidos. Por causa da grande variedade, é ótimo para grupos grandes, já que pode agradar a todos os gostos, além de ter preço justo e comida farta, mesmo no karaokê.

Com a popularização das outras casas da região, é comum chegar lá e encontrar pouca ou nenhuma fila. Na entrada, há vários mangás para ler enquanto espera ou mesmo comprar, todos em nihonguês. R$ 20 a R$ 40 por pessoa.De segunda a sábado, das 11h30 às 14h45 e das 18h às 21h45. Aos domingos, das 11h30 às 14h30 e das 18h às 21h30.

Endereço: R. Thomaz Gonzaga, 75 – Liberdade – São Paulo – SP
Telefone: (11) 3277-1557
Site: www.karaokeboxporquesim.com.br

Yakitori Misuzaka

O lugar é especializado em yakitoris, espetinhos grelhados e temperados à moda japonesa, dos mais variados ingredientes, de legumes às mais diversas carnes. Até mesmo de alho.

Mas, claro, o lamen não pode faltar! Eles servem uma única opção de lamen: a clássica, à base de shoyu. Porém, existe a excelente opção do Teishoku Lamen, em que o prato é acompanhado de um otoshi (entrada), gohan (arroz), missoshiro (sopa), tsukemono (legumes em conserva) e tamagoyaki (omelete japonês). As porções são todas pequenas, mas somadas e em conjunto com o lamen, fazem muito sentido e tornam-se uma bela refeição! Em alguns dias da semana, inclusive, há preços promocionais para estes combinados, que podem variar entre lamen, udon (macarrão grosso) e soba (macarrão de trigo sarraceno).

No térreo, você encontra a parte clássica com o balcão, onde a TV está sempre passando programas japoneses, há plaquinhas no estilo dos dojos orientais com os nomes dos ingredientes mais usados na cozinha, além do simpático oji-san que toma conta da grelha e dos yakitoris que dão nome à casa. No andar superior, estão as mesas e o chá quente que pode ser saboreado à vontade.

É um restaurante japonês com decoração simples, peixes grelhados, sopas, massas e curry, mas que não faz sushi! Vale a pena se você estiver ali pela Av. Paulista/Brigadeiro Luís Antônio e quiser uma experiência diferente. Fica dentro de um prédio comercial, mas o acesso é bem fácil. R$ 30 a R$ 60 por pessoa. De segunda a sábado, das 11h30 às 14h30 e das 18h às 21h.

Endereço: Rua Manuel da Nóbrega, 76, Loja 15 – Jd. Paulista – São Paulo – SP
Telefone: (11) 3284-4776
Site: www.yakitorimizusaka.com

Tan Tan Noodle Bar

Passeando pelo bairro de Pinheiros sem dúvida, é uma das casas de lamen mais bonitas de SP. O espaço é bem modernoso, com ótima decoração, balcão amplo e algumas poucas mesas espalhadas pelo espaço. Também servem bebidas e pequenas entradas para quem espera do lado de fora, já que, dependendo do horário, pode haver fila de espera.

O visual do prato é incrível, os ingredientes são bem dispostos, com poucos elementos, cores diversas, num chawan grande e imponente, mas a quantidade é muito pequena. A versão mini do Aska é maior do que a normal do Tan Tan! Se o ambiente é tão importante quanto a comida e você não tem muita fome, vá ao Tan Tan Noodle Bar.

Com a grande variedade de acompanhamentos promissores (como chashu de língua bovina, ovo cozido e miolo de paleta bovina na chapa), o custo-benefício não é bom. A localização é ótima e o acesso, muito fácil, já que fica a apenas uma quadra do metrô Fradique Coutinho. Se você está nos arredores da Vila Madalena, ou a caminho de lá, é um ótimo pit stop. Mas quem quer fazer um rolê gastronômico ou conhecer boas opções de lamen pode conhecer primeiro as outras casas desta lista. São melhores e mais bem servidas. R$ 35 a R$ 60 por pessoa. De terça a quinta, e aos domingos, das 18h às 23h30. Às sextas e sábados, das 18h à 0h30.

Endereço: R. Fradique Coutinho, 153 – Pinheiros – São Paulo – SP
Telefone: (11) 2373-3587
Site: www.tantannb.com.br

Esperamos que com essa lista possamos contribuir com sua busca pelas melhores casas de Lámen em São Paulo. E se você já conhece algumas dessas casas e já passou por alguma experiência com elas, deixe sua mensagem aqui no blog e ajude outras pessoas!