As 18 melhores cidades de São Paulo para morar

Vamos falar das melhores cidades de São Paulo para morar de acordo com o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) de cada uma. O estado de São Paulo assim como a cidade de São Paulo são apaixonantes, mesmo em meio a correria tem coisas que só São Paulo tem e isso encanta. E no estado de São Paulo não é diferente.

Uma preocupação das pessoas que moram no estado e até mesmo as que pretendem mudar para uma de suas cidades é qualidade de vida, educação, segurança. Que tem grande influência na escolha da melhor cidade para se estabelecer moradia.

O IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) é medido comparando índices  de riqueza, alfabetização, educação, esperança de vida, natalidade e outros fatores. É uma maneira padronizada de avaliação e medida do bem-estar de uma população, especialmente bem-estar infantil.

O estado de São Paulo foi considerado o melhor no quesito cidades para se viver no Brasil considerando as áreas de educação, renda e expectativa de vida. Estas cidades integram o seleto grupo dos municípios com grau de desenvolvimento considerado “muito alto” no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM).

O indicador, que vai de 0 a 1 (quanto mais próximo de 1, melhor) é semelhante ao IDH calculado para vários países do mundo, mas algumas alterações metodológicas que foram feitas.

O IDHM não mede exatamente qualidade de vida. Ainda que, municípios com elevados índices de educação, longeva expectativa de vida e renda alta tendam a ser bons lugares para se viver.

E vamos conferir a lista das 18 melhores cidades de São Paulo para morar. Confira:

1- São Caetano do Sul

O município da região dpo ABC Paulista, com aproximadamente  150 mil habitantes, está no topo das cidades com melhor IDHm no estado de São Paulo. Esse resultado se deve sobretudo à renda per capita, que é R$ 2.043,74. Além disso, os índices de longevidade e educação também são bons, o que coloca o município não apenas como o mais bem colocado em nível estadual, mas também como a cidade com o maior IDHm no país, superando os demais municípios brasileiros.

2- Águas de São Pedro

Uma  pequena cidade, de apenas 2.700 habitantes. Quando se consideram todos os municípios paulistas, independentemente do tamanho da população, o índice de 0,854 garante à cidade uma excelente  segunda posição, o que comprova a qualidade de vida de Águas de São Pedro.

3- Santos

Com cerca de 420 mil habitantes, a maior cidade do litoral paulista tem IDHM de 0,840. De 2000 a 2010, o componente do índice no qual o município obteve maior evolução foi a Educação, com crescimento de 0,093. Na Economia, Santos se destaca por abrigar o maior porto da América Latina, responsável por abastecer, principalmente, os estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. O turismo da cidade, naturalmente, também está vinculado às suas praias.

4- Jundiaí

Cidade com cerca de 370 mil habitantes, Jundiaí apresenta IDHM de 0,822 e dispõe de índices positivos em itens que vão além de renda, educação e longevidade. Em levantamento recente do Instituto Trata Brasil, a cidade ficou com o primeiro lugar no ranking de cidades paulistas com melhor saneamento básico entre municípios com mais de 300 mil habitantes e segundo lugar no ranking nacional, perdendo apenas para a cidade de Uberlândia, em Minas Gerais.

5- Valinhos

A cidade de Valinhos, na região metropolitana de Campinas conhecida como Capital Nacional do Figo Roxo, também tem se destacado na agricultura pela produção de goiaba, sendo a maior produtora do país. Um município jovem, fundado em 1953. Tem em torno de 107 mil habitantes e IDHM de 0,819.

6- Vinhedo

Município conhecido por abrigar um dos maiores parques de entretenimento do país, o Hopi Hari, Vinhedo tem IDHM de 0,817, índice alavancado, principalmente pelos índices educacionais.  A cidade já  recebeu o selo de cidade livre do analfabetismo. O município também se destaca pela produção de uva.

7- Santo André

A cidade do ABC Paulista é a quinta melhor grande cidade do país para se criar os filhos e deve isso em parte ao seu bom IDHM de 0,815. Com 679 mil habitantes, Santo André viveu o auge da indústria automobilística na região décadas atrás, mas, com a migração de várias montadoras para a o interior do estado, diversificou sua economia, apostando nos setores de comércio e serviços.

8- Araraquara

Apresenta o mesmo IDHM de Santo André (0,815), mas fica um pouco atrás no item renda, o que coloca o município na oitava posição. A cidade tem cerca de 224 mil habitantes e abriga um dos campus da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp). Há divergências quanto ao significado do nome da cidade. Uma versão o traduz do tupi com o significado “toca de arara”, mas há a hipótese de que a tradução mais precisa seja “morada do Sol”.

9- Santana de Parnaíba

Com 0,814 de IDHM, o município possui em torno de 123 mil habitantes. A fundação da cidade, em 1580, remonta ao início da colonização no Brasil, o que faz dela uma das mais antigas do estado. A longa história também deixou como herança um Centro Histórico bastante visitado, que reúne em torno de 200 casas e construções datadas dos séculos XVII e XVIII. Trata-se do maior conjunto colonial do estado.

10- Ilha Solteira

Construída estrategicamente para abrigar os trabalhadores da Hidrelétrica de Ilha Solteira, no fim dos anos 60, o município é exemplo de urbanização e oferece atendimento universal de água, energia elétrica e saneamento básico para seus 26 mil habitantes. A cidade também abriga um campus da Unesp no qual funciona um grande centro de pesquisa responsável pelo desenvolvimento de tecnologia elétrica. O IDH é de 0,812.

11- Americana

Cidade faz parte do polo têxtil do estado, tem em torno de 212 mil habitantes e apresenta IDHM de 0,811. O nome da cidade faz referência à imigração de famílias norte-americanas que vieram para a cidade no século XIX, após o fim da Guerra Civil nos EUA.

12- São José dos Campos

Na região chamada de Vale do Paraíba, São José dos Campos tem cerca de 681 mil habitantes e apresenta IDHM de 0,807. No passado, o café foi o principal produto na economia local, mas, desde o início do século XX, grandes indústrias chegaram e mudaram o perfil do município. Hoje, estão instaladas lá fábricas como Johnson & Johnson, Philips, General Motors, Monsanto e Panasonic. A cidade também é o principal pólo de tecnologia aeronáutica do país. Lá estão a sede da Embraer, o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

13- Presidente Prudente

A  cidade tem cerca de 220 mil habitantes e recebeu esse nome em homenagem ao ex-presidente da república Prudente de Morais, que também foi o primeiro governador do estado de São Paulo. A economia do município já esteve centrada na produção de algodão, mas hoje é o setor de serviços o principal responsável por geração de riqueza na cidade. A vida cultural é movimentada com grandes eventos sazonais como o Festival Nacional de Teatro, o Salão do Livro, o Sushi Fest e a Expo-Prudente. O IDHM é de 0,806.

14- São Paulo

A maior cidade ficou com IDHM de 0,805. Fundada por padres jesuítas em 1554, a pequena vila foi crescendo gradativamente com o passar dos séculos, mas ganhou proporções gigantescas principalmente no século XX, devido à intensa industrialização. Calcula-se que 11,8 milhões de habitantes vivam nessa metrópole, quantidade superior à população de países como Grécia, Portugal, Uruguai ou Israel.

15- São Carlos

Com o mesmo IDHM da capital paulista, São Carlos só perde no quesito renda. Tem população de aproximadamente 239 mil pessoas e tem na agropecuária uma de suas principais atividades econômicas, com destaque para a produção de cana de açúcar, laranja, leite e criação de frangos. Essa característica não impede, contudo, que grandes indústrias também funcionem na cidade, como a Faber-Castell, a Volkswagen e a Electrolux.

16- São Bernardo do Campo

Mais uma cidade do ABC Paulista no ranking. São Bernardo do Campo é o lugar do forte movimento sindical que deu origem a influentes líderes políticos, como o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. Desde a década de 50 a economia da cidade é movimentada principalmente pela indústria automotiva, como são exemplo as fábricas da Volkswagen, da Ford e da Mercedes-Benz.

17- Assis

A cidade com cerca de 101 mil habitantes também possui um campus da Unesp, além de um campus de pós-graduação da Universidade de São Paulo (USP). O nome da cidade faz referência ao fundador, o capitão Francisco de Assis Nogueira, que atuou como desbravador da região no início do século XX. O IDH do município empata com os de São Paulo, São Carlos e São Bernardo, mas a cidade é superada no quesito renda.

18- Campinas

Com 1,1 milhão de habitantes é o terceiro município mais populoso do estado, ficando atrás apenas da capital e de Guarulhos. Campinas é um centro econômico importante, mas ganha destaque ainda maior sua produção científica, graças à Unicamp, considerada por vários rankings como a segunda melhor universidade do país, sendo superada apenas pela USP. Embora não seja uma capital, tem sua própria região metropolitana, dada a influência que a cidade exerce nos 20 municípios que a circundam. Campinas possui o mesmo IDHM das outras quatro cidades citadas anteriormente, mas é superada nos itens educação e longevidade.

Esperamos que  possamos contribuir com sua busca pelas 18 melhores cidades de São Paulo para morar.  E se você já passou por alguma experiência com algumas delas, deixe sua mensagem aqui no blog e ajude outras pessoas!

0 comentários